sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O passado domingo, dia 29 de Novembro, foi mais um dia em cheio para a BTTOPO, com os seus elementos "com disponibilidade e vontade" a demonstrarem que o grupo anda em bastante actividade ao envolverem-se em três diferentes frentes, das quais até ao momento só temos ainda fotos e informações de uma delas.
Dois corajosos BTTopos aventureiros, Jorge Vieira e Tiago Cartario, levaram em frente a sua enorme vontade e persistência ao ultrapassar os diversos obstáculos que se lhe atravessaram pelo caminho, e foram deste modo representar a BTTOPO e o CCRO no já tradicional e antigo Passeio/Maratona BTT da Bestomontanha, na sua 17ª edição, em Besteiros - Freixianda.
Contrariamente ao que vem sendo habitual, desta vez não houve baixas de última hora, mas sim reforços de última hora (quem diria!). Pois foi assim com algum espanto que eram 8 horas da matina, hora de sair da cama, que o Vítor Lopes telefona meio perdido a pensar que eram já 9 horas, pedindo desculpas por nada ter dito na véspera e todo preocupado a pensar que já era tarde, mas não, felizmente o Vítor lembrou-se mesmo á hora certa e então teve tempo de se despachar e vir acompanhar os colegas na representação do grupo. Foram portanto 3 os representantes da BTTOPO neste evento, com a inclusão do Vítor Lopes!
Com uma enorme coragem ao enfrentar um nascer de dia chuvoso no Olival (felizmente em Besteiros não passava de aguaceiros) e resolvido o problema do transporte, os BTTopos lá se fizeram á estrada com o seu atraso habitual, eram 8.50 horas, chegando rapidamente e facilmente ao local da prova, que tinha partida prevista para as 9.45 horas. Mas apesar do atraso habitual os BTTopos chegaram a tempo, tendo rapidamente ido fazer a sua inscrição na prova, eram 9.25 horas (o secretariado encerrava ás 9.30 horas) tendo sido os últimos a inscreverem-se (a prova terá tido 67 participantes).
Seguidamente logo se apressaram a ir á carrinha equipar, tirar e afinar as máquinas, o Vítor ainda foi tomar um digestivo, mas foi com algum espanto que chegámos ao local da partida eram 9.40 horas e a partida já havia sido dada, um pouco antes da hora prevista, nada de grave, mas um início de prova um pouco atribulado para os BTTopos!
O evento consistia num Passeio de 30 km ou em alternativa uma Maratona de 60 km, e os BTTopos apresentavam-se cheios de genica com uma enorme vontade de sujar o equipamento (que remédio!) e cumprir o verdadeiro espírito que caracteriza o grupo: "Pedalar e Curtir"!
O Tiago Cartario, o mais combativo dos BTTopos presentes, havia apontado persistentemente baterias aos 60 km, por isso partiu que nem uma seta que nunca mais os companheiros o viram, teve a dura tarefa de ir ultrapassando os concorrentes mais lentos até encontrar parceiros que fossem também fazer os 60 km, dispensou o abastecimento, conseguiu encontrar companhia é verdade, mas devido a um pequeno acidente de percurso aliado ás condições atmosféricas um pouco adversas, lá achou que não tinha condições para fazer os 60 km e seguiu a rota dos 30 km, tendo encontrado nessa altura um parceiro de caminhada que se encontrava nas mesmas circunstâncias e seguido com ele, a companhia certa para chegarem os 2 isolados ao final, tendo sido os primeiros a chegar na distância de 30 km com um espectacular tempo de 1 hora e 50 minutos (andamento a velocidade superior a 15 km/h, é de louvar!), naquele que terá sido talvez o melhor resultado de sempre da BTTOPO em provas do género, embora não seja factor de relevo pois não é necessariamente esse o espírito do grupo e surgiu por acaso, pois se o Tiago tivesse mesmo intenções de ir para os 30 km seguia com os companheiros.
O Vieira foi o último a abandonar a carrinha e sentiu-se um pouco desamparado á partida por não encontrar ninguém, mas logo reconheceu a rota a seguir e ao enfrentar a primeira subida logo encontrou 3 concorrentes mais atrasados, mas uma questão se lhe colocou: "Então o Tiago já la vai para a frente de certeza, mas o Vítor? Será que já la estará também para a frente ou será que ficou no café? Qual café? Onde seria o café onde ele foi?". Toca a ligar ao Vítor e constata-se que o Vítor tinha ficado mesmo para trás, estando a iniciar a subida quando o Vieira já tinha chegado ao topo. "Ok Vítor então olha eu já cá estou em cima, vou indo devagarinho que já me apanhas e seguimos os 2 juntos". E assim foi, o Vítor quase que voa nas descidas e logo apanhou o Vieira, tendo seguido os 2 juntos até ao fim, e galgando um pouco mais de terreno rapidamente encontraram um grupo de participantes mais atrasados tendo seguido sempre mais ou menos juntamente com eles. O Vítor com uma bicicleta mais pesada e apresentando-se mais cansado sentia maiores dificuldades nas subidas, o Vieira ia tentando puxar por ele acabando sempre por abrandar e esperar pelo companheiro, mas quando se tratava de descer era o Vítor que ia a fundo e se distanciava. Uns single tracks em pedra em descida com ligeira inclinação e um pequeno problema para o Vieira, o selim desloca-se da posição normal, uns metros á frente, toca a apanhar e mandar parar o Vítor e recorrendo ás ferramentas deste, toca a apertar o selim e sigamos que se faz tarde. Já cheirava a reforço quando passam por um óptimo local para um pequeno descanso, e toma lá que cá vai disto!
Até a "bebida energética" estava á espera e á disposição! Soube bem tão abençoado descanso mas durou pouco tempo. Retomando a marcha alcançaram os companheiros de caminhada que entretanto tinham deixado escapar, e já praticamente com o abastecimento á vista, uma contrariedade, pois foi, acontece sempre aos melhores e quem anda de bicicleta está sempre sujeito, o Vítor teve um problema com uma roda que estava a perder ar, constatou-se que era mesmo do pipo, um mesmo problema que já o vem afectando em passeios anteriores.
A questão rapidamente foi solucionada com a ajuda de um companheiro amigo de caminhada que encheu o pneu do Vítor com espuma, o que se veio a revelar uma óptima ideia pois o Vítor aguentou-se assim até final.
Ultrapassado o percalço entretanto o tão desejado abastecimento chegou, e ai os BTTopos não perdoam, tratam-se bem, e a bela da Mini não podia faltar!
Como devem compreender o abastecimento era muito desejado, pois o desgaste já era algum e até o fatinho do domingo de manhã já estava um pouco manchado, problemas do ofício, nada que uma Mini Sagres bem fresquinha não resolva!
Com o sol a espreitar, apenas cerca de 22 minutos bastaram para os 2 BTTopos se abastecerem, também foram só 2 pães com chouriço, 3 Mini Sagres, uma Maçã e o Vítor ainda teve direito a sobremesa especial da marca Marlboro, como podem concluir, nada demais!
De papinho cheio toca a retomar a marcha, apresentava-se um bom bocado de subida, já só faltavam mais 15 km para o final, o Vieira a dar-lhe forte, o Vítor deixava-se atrasar, os parceiros de caminhada ficavam nitidamente para trás, o Vieira abrandava, mas ia tentando dar moral ao Vítor, "Bota calor, que é até partir o motor", mas ia avançando até que uns quilómetros á frente e tendo-o perdido de vista, no Moinho de Formigais apresenta-se uma descida bem inclinada em piso empedrado, e por sinal bem molhado, e ai foi ver o Vítor a voar e o Vieira a ver passar! Os quilómetros iam passando e já em plena Vila da Freixianda, piso de alcatrão, Vieira a esticar e uma caimbra a atrapalhar, nada que uns minutinhos de paragem não o fizessem sossegar!
3 horas e 40 minutos depois e os 2 a chegar, e qual não foi o espanto que á janela estava já, o Tiago a espreitar, os primeiros dos 60 km, tinham também já acabado de chegar, mas para o Tiago, seria de espantar, embora não de desprezar, mas já com banho tomado, seria mesmo de duvidar, quem quereria ele enganar?, mas confirmou-se que o Tiago, é bom é a "gargantar", mas bem vistas as coisas, até teve um comportamento de valorizar!!!
Chegaria então agora a hora da lavagem das máquinas, e já agora também dos "motores", um banho de mangueira e de água fria, pois claro, mas era o que estava mais á mão! E a foto da praxe, para mais tarde recordar, pois foi uma manhã de domingo, super espectacular, a curtir e pedalar, feito longe de imaginar, de fazer os nossos ausentes, invejar, eles que nesta nossa aventura, não queriam acreditar, mas o que interessa é que a BTTOPO e o CCRO, estão a BOMBAR!!!

Quanto ao Tiago o que ele já queria mesmo, era petiscar, mas ali ao lado estavam ainda, a carne a assar, e os BTTopos ali perto, a cheirar, bem que apetecia já, saborear, mas faltava ainda, as máquinas arrumar, e o traje trocar, para quem soube esperar, pois o Vítor não se fez rogar, e foi logo com o Tiago, um lugar reservar, mas o Tiago já com fato limpo, foi impossível de verificar, excepto para quem o viu chegar, o estado que vinha, a apresentar, e dado que veio sempre a bombar, e até os balneários foi estrear, foi esta a única foto, que dele foi possível registar!

O passeio em si era do melhorzinho que temos encontrado, percurso não muito duro, de dificuldade média fácil, mas que se tornava um pouco mais duro devido ao piso estar pesado devido ás chuvas da semana antecedente, véspera e próprio dia, mas não menos espectacular, felizmente também choveu pouco durante o evento e o percurso não se apresentava muito estragado devido ás chuvas. Bom trabalho por parte da organização, embora se constatasse que poderia ser melhor nalguns aspectos, mas é assim mesmo, calha a todos, nada sai perfeito!
Quanto ao almoço foi muito bem servido, na sede da Bestomontanha, que apresentava umas condições muito boas, seguiu-se uma entrega de lembranças, não sobrando nada para a BTTOPO, mas valeu pelo esforço, foi muito bom, e foi com grande sorte que as enormes cargas de água caíram já no decorrer do almoço e á hora do regresso.
Gostaríamos de deixar aqui também um sincero agradecimento aos nossos colegas da Secção de TT e Desportos Motorizados que na véspera tinham ido ao 24 Horas de Fronteira, pelo esforço que fizeram em nos disponibilizar a carrinha do clube á última da hora, para que pudéssemos ir nela para este evento. Não é que não pudéssemos ir de transporte próprio, era o que iríamos fazer se não tivéssemos a carrinha disponível pois estávamos com enorme vontade de ir, mas tendo o CCRO o "luxo" de ter uma carrinha própria para estas circunstâncias, e suportando nós dos nossos bolsos em qualquer actividade de BTT em que participamos todos os custos inerentes á actividade, incluindo o combustível para a carrinha, por que razão não haveremos de ir na carrinha do CCRO (estando ou podendo estar esta disponível), dado que vamos também em representação da associação, e que melhor que ir na sua própria carrinha para a divulgar?

Nota: Espero que este post não venha também a ser motivo de incómodo por parte de algumas "abelhas" que por vezes por aqui aparecem, nomeadamente no que toca á questão das opiniões pessoais, mas se assim tiver de voltar a acontecer, pelo menos desta vez terão de o manifestar de outra forma sem ser pela cobardia do anonimato. Reconhecidamente este post ficou demasiado grande, mas deu muito gosto escrevê-lo, mas que fique bem claro que só o lê quem fizer questão, bem como também ninguém é obrigado a vir visitar este blog sequer.
Foi já no passado dia 15 de Novembro que a BTTOPO marcou a sua presença no Passeio BTT de Alburitel, sob organização do grupo de BTT de Alburitel, Alburibike, passeio este que tinha 2 percursos, um de 25 km e outro de 50 km para participantes mais resistentes e aventureiros.
Apesar das condições atmosféricas menos convidativas e das habituais baixas de última hora, a BTTOPO lá se conseguiu apresentar (desta vez com menor atraso que o costume) em Alburitel com 4 corajosos elementos prontos a testar os seus limites nestes desafio em representação do grupo e do CCRO: o Bruno Mendes e o Tiago Cartario (nos 50 km) e o Jorge Vieira e o Pedro Lopes nos 25 km.
O passeio correu relativamente bem salvo alguns pequenos percalços que normalmente ocorrem,o tempo portou-se bem (não choveu), só que como tinha chovido muito na semana anterior o terreno estava bastante pesado, não contribuindo por isso da melhor forma para dar seguimento ao excelente trabalho da organização, pois havia certas descidas em terreno de barro bastante escorregadio, que com outras condições se tornariam espectaculares mas assim estavam bastante perigosas.
O passeio começou por volta das 9.30 horas tendo sido Jorge Vieira o primeiro do grupo a chegar, por volta das 12.15 horas, cerca de 20 minutos depois chegavam os primeiros classificados do passeio de 50 km. Entretanto chegaria Pedro Lopes por volta das 13 horas e os nossos mais aventureiros Tiago Cartario e Bruno Mendes chegaram ás 13.48 horas.
Foi portanto um passeio bastante duro que correu relativamente bem para todos os BTTopos, mas que os fez chegar ao final já completamente esgotados ou perto disso.
Mostramos de seguida algumas fotos dos BTTopos em acção, fruto de um excelente trabalho efectuado por 2 repórteres fotográficos da ABTFOTO durante o percurso, aos quais desde já agradecemos.

Tiago Cartario


Bruno Mendes


Jorge Vieira


Pedro Lopes

Fotos retiradas de http://www.abtfoto.com

BTTopos juntamente com alguns amigos que os acompanharam na participação do V Passeio BTT Trilhos da Raia - Idanha-a-Nova - 18-10-2009

Depois de em 2008 a BTTOPO ter participado na Maratona de Idanha, logo ficou a promessa de voltar, agora com o grupo no seu máximo, com 11 elementos, mais 2 amigos que foram connosco e outros conhecidos que lá se juntaram, batendo todos os recordes jamais alcançados.
Com objectivos bem definidos, logística bem recheada, marcação do restaurante efectuada, não vá a seita mudar de ideias (pensou o Boss Tequila), partimos à hora certa pois a espera pelo Miguel Preto é coisa já comprovadamente esperada. Sentimos a desistência do Filipe Capitão e compreendemos os seus motivos.
E lá chegámos ao nosso destino, apressando-nos a levantar os dorsais no Hall de entrada da Câmara Municipal de Ourém, perdão, de Idanha -a-Nova.
Na verdade acabámos por descobrir a aposta clara, inequívoca, o total empenhamento de toda a estrutura Camarária no Evento “Maratona de Idanha-a-Nova”, que se traduz no enorme sucesso que a mesma vem alcançando.
Após a recepção dos dorsais e a respectiva sessão de strip, seguiu-se a sessão de aperitivo, preparação de repasto que se advinhava. Um “Ensopado de Borrego” de se tirar o chapéu, agora percebendo a insistência do nosso chefe de fila.
Bem regado claro, lá evoluímos para a sessão de degistivo, decorrendo como esperado, com a participação simpática da “GNR” , que nos aconselhou evitar conduzir e que já havíamos definido acatar. Guitarra, djambé, mistura explosiva para todos os que queriam dormir, alguma azia no ar e lá fomos atacados pelo João Pestana.
7h30 e lá fomos despertando, cheios de vontade de pedalar, pelo menos, alguns. Atrasados como sempre, partimos para a aventura há tanto tempo esperada. Paisagem deslumbrante, embora muito seca, este ano, mas com as nuvens a proteger as nossas tolas, fomos malhando quilómetros e o grupo com andamentos diferentes a separar-se. Entre conversas disto e daquilo, lá chegámos ao destino, com o rabo a queixar-se de muitos meses afastado do selim, UIII, UUUIIIII.
Um banho rápido, pois o nosso primeiro grupo já havia chegado quase à 2h00, a fome já não se aguentava e recepção da organização, sempre espectacular, não se fazia esperar com o repasto em quantidade e qualidade.
A acompanhar o movimento mecânico alimentar marcava o ritmo uma banda de música popular com uns laivos alternativos.
Grupo reunido, carga pronta e metida nos contentores, …destino Olival.
Espectacular…apetece voltar a IDANHA!
by Pedro Oliveira